images

O ministro da Cidadania, João Roma, rebateu nesta segunda-feira, 13, as declarações do governador Rui Costa (PT) sobre os elevados índices de violência na Bahia após a morte de dois PMs durante operações no estado neste final de semana.

Ao comentar sobre o fato, Rui culpou a política de armas do governo do presidente Jair Bolsonaro o que, segundo Roma, seria uma “transferência de responsabilidade”.

Ainda de acordo com o ministro, que afirma ter se baseado em dados do Monitor da Violência, do G1, o Brasil registrou redução no número de homicídios, 8% na comparação do primeiro semestre deste ano com o primeiro semestre de 2020, enquanto a Bahia teria aumentado 7,1% no mesmo período.

“Caiu por terra o argumento do governador. Pior pecado: transferência de responsabilidade. A violência vem caindo no Brasil todo graças a uma política firme do governo Bolsonaro no combate à criminalidade. Temos registrado, por exemplo, recordes de apreensão de drogas. Já a Bahia vai na contramão do país. Até quando vamos tolerar a falta de planejamento e investimentos na Segurança pública?”, questionou.

Em seu Twitter, Roma lamentou a morte dos policiais e continuou a crítica ao governo petista. “Me solidarizo com as famílias dos PMs Sd. Antônio Elias e Ten. Grec, vítimas da violência. Jovens comprometidos a nos proteger e que nos deixam muito cedo com um exemplo de dedicação ao ofício. Mais um triste fim de semana de rotina de homicídios na Bahia. Lamentável legado do PT”, escreveu.

Informações de A Tarde.