Muriçocas atormentam população.

Muriçocas atormentam população.

Moradores de várias partes de Ilhéus estão convivendo com um toque de recolher bem peculiar. No final da tarde, as pessoas são obrigadas a fechar portas e janelas para evitar a entrada de muriçocas. Quem se arrisca deixar as portas abertas sabe que será incomodado pelos insetos. Depois das 17h00, os moradores são submetidos ao cárcere privado e, só no dia seguinte, abrem as portas e janelas. 

Na redação do Site Fábio Roberto Notícias as reclamações não param de chegar. “Todo verão a situação é crítica, só conseguimos dormir com mosquiteiro e com o ventilador no rosto e, ainda assim, somos mordidos, relatou Dona Vanda, costureira no bairro do Malhado. 

A infestação pelo Culex, nome científico da muriçoca, está ligada à presença de esgotos e córregos, além da falta de limpeza urbana e vegetação. A situação piora no verão e os bairros mais afetados em Ilhéus são o próprio Malhado, Nossa Senhora da Vitória, Nelson Costa, Banco da Vitória, além dos altos e distritos, que sentem na pele as picadas dos insetos.