Everaldo continua preso.

Everaldo continua preso.

A Corte Espacial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu manter a prisão preventiva do presidente nacional do PSC, Pastor Everaldo, e de outros investigados na Operação Tris In Idem, que levou ao afastamento do governador do Rio, Wilson Witzel. A decisão é desta quarta-feira (18). 

O relator, ministro Benedito Gonçalves, considera que não houve alteração no quadro fático e jurídico que sustentasse a revogação das prisões preventivas ou substituição por outras medidas cautelares. O voto do relator foi acompanhado por maioria, com divergência apenas do ministro Napoleão Nunes Maia. Ele argumentou que a suposta organização criminosa girava em torno do então governador do Rio, que está em liberdade. O ministro votou para que os demais investigados tenham o mesmo tratamento.

Além do pastor Everaldo, continuam presos José Carlos de Melo, apontado como “o homem do dinheiro”; Victor Hugo Cavalcante, o doleiro do pastor, segundo a investigação; Mário Peixoto; Cassiano Luiz; Lucas Tristão; Juan Elias Neves de Paula; Alessandro Duarte e Gothardo Lopes Netto.