Dia do chocolate.

Dia do chocolate.

Como vocês sabem, aceitei o convite do Democratas para construirmos uma pré-candidatura ao cargo de prefeito de Ilhéus. Essa construção passa necessariamente pelo esforço para elaborarmos um plano de governo participativo, consultando diversos setores da sociedade. Assim, podemos conhecer as demandas da população e criar as condições para que o poder público ajude a supri-las.

Por exemplo, hoje, 7 de julho, Dia Mundial do Chocolate, compartilho o que temos ouvido das pessoas que atuam na cadeia de produtiva que transforma o fruto de ouro em produtos com diferentes níveis de beneficiamento e agregação de valor. Do simples e delicioso mel de cacau aos chocolates sofisticados que levam o nome de Ilhéus para o Salão do Chocolate de Paris.  

Segundo os produtores, falta investimento público em pesquisas de qualidade, com o objetivo de aumentar a produtividade do cacaueiro no sistema cabruca. O desenvolvimento tecnológico é o caminho para diminuir o custo de produção, algo fundamental em um mercado com o acúmulo histórico de redução de preços.

Nesse cenário, o papel do governo municipal é articular os esforços de órgãos técnicos, como a CEPLAC e as universidades, e estimular a cooperação do terceiro setor. Essa articulação deve ser uma das prioridades da Secretaria de Agricultura e Pesca de Ilhéus.

Além de mais pesquisas qualificadas, os produtores querem assistência técnica de ponta. Mais uma vez, propomos que a prefeitura assuma a responsabilidade de criar as condições de trabalho para os profissionais capazes de orientar os produtores. A UESC tem um dos cursos de Engenharia Agrônoma mais tradicionais do país. Também temos na região a Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). As duas instituições devem ser parceiras dessa empreitada.

Conforme os depoimentos que ouvimos, a prefeitura também deve agir para melhorar a logística de escoamento dos produtos da cadeia produtiva do cacau e de outras culturas.

Por fim, o poder público precisa investir na divulgação da cultura cacaueira, incluindo o turismo ecológico, por exemplo, na formatação do seu calendário de eventos.

A gente não quer inventar a roda de novo. Tenho dito sempre que a política deve ser tratada em alto nível. Devemos criticar com fundamentos os problemas e potencializar as boas ações em curso. Aqui me refiro especialmente ao Festival Internacional do Chocolate, que se consolidou em Ilhéus. Por causa da pandemia, não teremos a edição deste ano. Se Deus quiser, o do ano que vem será o maior da história – para valer por dois!

Valderico Junior é empresário, presidente do DEM em Ilhéus e pré-candidato a prefeito.