Servidores passam por capacitação.

Servidores passam por capacitação.

A estudante do curso de Enfermagem da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), Alani de Souza sonha com novos horizontes. “Para cuidar é preciso estar atualizado. Nossa vida precisa de uma atenção contínua, e ter a consciência de que a gente vai cuidar cada vez melhor dos nossos pacientes”, declarou a estudante que quer agregar à sua formação, uma cultura de atualização, mesmo antes de estar formada.

As experiências de Alani coincidem com a história de centenas de estudantes de Enfermagem de universidades públicas e privadas. Para dar mais incentivo às turmas, a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), em parceria com a Uesc iniciou na quarta-feira (3), um ciclo de “Atualização no Manejo e Tratamento de Feridas”, no auditório da secretaria, no centro. A estratégia acontece até o dia 11 de julho, das 13h30min às 17 horas.

A atualização é ministrada pela doutora em Ciências da Saúde, Emanuela Cardoso da Silva, tendo como público-alvo, enfermeiros e técnicos de Enfermagem da atenção básica do município de Ilhéus. A proposta, segundo os organizadores, visa oferecer uma atualização sobre o tema central, a partir da identificação, de que cuidar de feridas e estomias, é um processo dinâmico, complexo e que requer uma atenção especial.

Serão utilizadas nos encontros, a exposição dialogada de conteúdo, exibição de vídeos, demonstração prática e discussão de casos clínicos. Nos encontros, profissionais e estudantes devem também conferir os avanços tecnológicos no tratamento de feridas complexas, além de conhecer as ferramentas disponíveis para avaliação de lesões e feridas. Depois dos conteúdos, será realizada aplicação de pré e pós-testes com os envolvidos.

Por sua vez, a palestrante Emanuela Cardoso da Silva considera que o momento não trata da ferida apenas. “A gente precisa cuidar das pessoas como um todo, para que essa ferida também possa ser cicatrizada. O intuito realmente é esse: fazer com que haja uma qualidade maior no atendimento dos profissionais com essas pessoas”, explicou a doutora em Ciências da Saúde, durante evento.

A coordenadora da atenção básica, Jailma Nascimento ressalta que a estratégia atende também aos profissionais da média complexidade. “A atualização é relevante a todos os profissionais, inclusive os usuários dos serviços. Muitos não param para ver a importância de um curativo feito da forma correta. Podemos estar, de maneira errada, comprometendo a vida de uma pessoa se a gente não entender que o curativo deve ser feito da forma correta”, destacou.