Wagner na corda bomba.

Wagner na corda bomba.

O senador Jaques Wagner (PT) vai virar alvo de investigação por suspeitas de receber caixa dois nas campanhas de 2006 e 2010, propina disfarçada em doações declaradas à Justiça Eleitoral e vantagens indevidas pagas pela Odebrecht.

O inquérito, que foi arquivado em 25 de fevereiro pela juíza Patrícia Kertzman, do TRE, será reinstaurado pelo Ministério Público Federal (MPF) na Bahia, com base em parecer do vice-procurador-geral eleitoral, Humberto Jacques de Medeiros. No último dia 5, Medeiros concluiu que investigações nas quais não se aplica o foro privilegiado podem ser abertas sem necessidade de autorização judicial. 

Originada a partir de delações e apreensões realizadas ano passado pela Operação Cartão Vermelho, a investigação mira supostos delitos cometidos antes de Jaques Wagner virar senador e sem ligação com a atividade parlamentar. Por decisão do Supremo, não cabe prerrogativa de foro nesses casos. O que, para o MPF, permite tocar o inquérito sem aval prévio da Justiça.