Fachada da ALI.

Fachada da ALI.

A Academia de Letras de Ilhéus (ALI) comemora, nesta quinta-feira (14), seu aniversário de 60 anos de fundação, ocorrida em 14 de março de 1959. A data será marcada pela abertura solene do Ano Acadêmico de 2019, com uma preleção sobre a trajetória da instituição, proferida por Arléo Barbosa, e posse da diretoria eleita para o biênio 2019-2021.

A nova diretoria é composta por André Luiz Ribeiro Rosa, presidente; Arléo Barbosa, vice-presidente; Jane Hilda Badaró, secretária geral; Maria Schaun, primeira secretária; Josevandro Nascimento; Gerson dos Anjos, primeiro tesoureiro e Gustavo Cunha, segundo tesoureiro. O secretário de Cultura de Ilhéus, Pawlo Cidade, é um dos membros atuais da ALI.

Segundo Jane Hilda Badaró, a Academia de Letras de Ilhéus é uma das mais antiga do Brasil. A instituição mantém acesos, nestas seis décadas de história, os ideais sonhados por seus fundadores e o propósito expresso no lema do sodalício: “Patriae Litteras Colendo Serviam”.  

“A Casa de Abel, assim chamada numa referência ao seu idealizador e fundador, poeta Abel Pereira, segue firme no cumprimento da missão de incentivar e promover a cultura, através da realização de conferências, concursos, cursos, premiações, e outras atividades de natureza literária, artística e cultural”, destaca a escritora.

O prefeito Mário Alexandre enfatiza que a data é duplamente festiva, referindo-se ao aniversário de nascimento do poeta Castro Alves. “É uma alegria e honra para todos os ilheenses a preservação de uma instituição tão importante como a Academia de Letras de Ilhéus. Nossa cidade é o berço cultural dessa região e patrimônio histórico brasileiro”, o prefeito.

O texto de Jane Hilda Badaró ressalta alguns nomes referenciais que ocuparam uma das 40 cadeiras da ALI: Jorge Amado, Adonias Filho, Otávio Moura, Carlos Monteiro, Leones da Fonseca, Paulo Cardoso Pinto, Clarêncio Baracho, Ramiro Berbert de Castro, Otávio Moura, Pe. Nestor Passos, Osvaldo Ramos, Carlos Pereira Filho, Natan Coutinho, Leopoldo Campos Monteiro, José Nunes de Aquino, João Mangabeira, Gileno Amado, Zélia Gattai, Amilton Ignácio de Castro, Janete Badaró, Ariston Cardoso, Dorival de Freitas, Ton Lavigne, Mario Pessoa, Hélio Pólvora, Érito Machado, Raymundo Sá Barreto, Claudio Silveira, Manoel Carlos de Almeida, Hans Tosta Schaeepi, João Hygino Filho, dentre outros.