Professores sinalizam paralisação.

Professores sinalizam paralisação.

Os professores da UESC se reuniram em Assembleia na última quarta-feira, para discutir saídas para crise imposta às Universidades Estaduais da Bahia (UEBA), pelo governo Rui Costa (PT). Dentre as propostas, foi apresentado, além de medidas judiciais a serem tomadas, um calendário de mobilização com paralisação de 72 horas e possível greve geral.

Os encaminhamentos da Assembleia foram avaliados em reunião do Fórum das Associações Docentes (Fórum das ADs), que também discutiu as propostas dos professores/as da UESB, UNEB e UEFS, na quinta-feira (7).  Como resultado da discussão, os representantes docentes indicaram que seja realizada uma rodada unificada de Assembleias, no dia 5 de Julho, para pautar a decretação do Estado de Greve da categoria. Até a data, o Fórum das ADs vai protocolar, novamente, a pauta da categoria, em mais uma tentativa de diálogo com o governo. A participação no tradicional cortejo das UEBA, no 2 de Julho, em Salvador, também, foi proposto.

A pauta dos professores, protocolada desde dezembro de 2017, reivindica 21,1% de recomposição salarial, 7% da Receita Liquida de Impostos destinada ao orçamento das universidades e o cumprimento dos direitos trabalhistas